Por que precisamos de mais verbas?

Por que ainda precisamos de US$1,5 bilhão para erradicar a pólio, se ela permanece endêmica em apenas três países?

Para eliminar a pólio, devemos cessar a transmissão do vírus selvagem no Afeganistão, Nigéria e Paquistão, os últimos países onde a doença continua endêmica. Também devemos manter todos os demais países livres da poliomielite até que ela seja oficialmente erradicada. Até lá, 60 países em situação de alto risco continuarão realizando campanhas de imunização de larga escala para proteger suas crianças. Por causa disso, temos que continuar financiando a luta contra doença.
  

Por que chegar a zero é importante?

Embora tenha havido uma redução global de 99,9% nos casos de pólio, é essencial continuarmos trabalhando para erradicar a doença de uma vez por todas.
  

O risco:

ressurgimento da pólio

  
Se a poliomielite não for erradicada por completo, a doença ressurgirá e registraremos, globalmente, 200.000 novos casos por ano na próxima década.

O desafio:

erradicação mundial

  
Ao nos aproximarmos do fim da pólio, precisamos aumentar os esforços de identificação da doença, também chamado de vigilância, para assegurar que o vírus realmente tenha sido eliminado de cada canto do planeta. Como apenas um em cada 200 casos de poliomielite resulta em paralisia, nós dependemos do sistema de vigilância e da rede de laboratórios para indicar onde a pólio existe e onde ela não existe.
  
  

  

  

Entendendo a erradicação

  

A solução:

ganhar a luta

  
Devemos permanecer vigilantes, junto com nossos parceiros, governos, líderes comunitários e agentes da saúde. Precisamos continuar imunizando todas as crianças contra a paralisia infantil até que ela seja erradicada.

O que sua contribuição possibilita:

Em janeiro de 2017, US$35 milhões em subsídios contra a pólio foram desembolsados principalmente para a OMS e o Unicef conduzirem atividades de imunização. Este dinheiro financiou recursos técnicos e mobilização social em nove países da África e Ásia. Veja alguns exemplos de como os fundos foram usados:
  
  • Camarões:

    31.832 vacinadores
  • Nigéria:

    14.555 anunciantes para divulgar os dias de vacinação
  • Chade:

    95.000 canetas para pintar o dedo das crianças que foram vacinadas
  • Afeganistão:

    treinamento para 66.501 trabalhadores de campo, supervisores, monitores, pesquisadores e coordenadores.
  

  

Com quem trabalhamos

Nossos parceiros

Luta contra a pólio

Linha do tempo da pólio