Nigéria atinge marco crucial em relação à pólio

Faz três anos desde que as autoridades de saúde reportaram um caso da doença causada pelo poliovírus selvagem na Nigéria. O marco, alcançado em 21 de agosto, significa que é possível que toda a região africana da Organização Mundial da Saúde (OMS) seja certificada como livre da pólio no próximo ano.

O sucesso da Nigéria é resultado de vários esforços constantes, incluindo financiamento internacional e do próprio país, compromisso de milhares de profissionais de saúde, além de estratégias para imunizar crianças que antes não podiam ser alcançadas por falta de segurança nos estados do norte do país.

"O Rotary, seus parceiros da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio e o governo nigeriano fortaleceram os sistemas de imunização e detecção da doença", diz Michael McGovern, presidente da Comissão Internacional Pólio Plus do Rotary. Ele adiciona: "Agora, estamos alcançando mais crianças do que nunca em alguns dos lugares de mais difícil acesso na Nigéria".

McGovern afirma que os rotarianos nigerianos desempenham um papel importante para livrar o país da doença. "Os rotarianos têm trabalhado muito para aumentar a conscientização sobre a erradicação da pólio junto ao governo, abordando outras necessidades básicas de saúde que complementam os esforços de erradicação, como fornecer água potável às comunidades vulneráveis".

A Nigéria é o último país da África onde a pólio é endêmica. Quando o continente for certificado pela erradicação da doença, cinco das seis regiões da OMS estarão livres da pólio. A doença permanece endêmica no Afeganistão e no Paquistão, o que significa que a transmissão do vírus nunca foi cessada.

Dr. Tunji Funsho, presidente da Comissão Pólio Plus da Nigéria, reconhece o marco, mas alerta os rotarianos sobre uma comemoração precoce, citando o desafio de garantir que as imunizações de rotina cheguem a todas as crianças nigerianas.

"É fundamental garantir que todas as portas estejam trancadas para que o vírus selvagem não entre de novo em nosso país", esclarece Funsho.

Funsho afirma que, para isso, o Rotary precisa manter esforços intensos de defesa da causa, continuar aumentando a conscientização sobre as campanhas de imunização e garantir que os rotarianos levantem os fundos necessários. O Rotary já contribuiu com US$268 milhões para combater a pólio na Nigéria.

"Sendo a primeira organização a sonhar com um mundo livre dessa doença, o Rotary está comprometido a cumprir sua promessa", ressalta McGovern. "Nosso progresso na Nigéria é um grande passo em direção a esse objetivo, mas precisamos manter o ritmo para que o Paquistão e o Afeganistão vejam o mesmo nível de avanço".

Junte-se ao Rotary no Dia Mundial de Combate à Pólio, em 24 de outubro, para celebrar nosso progresso. Ajude-nos a alcançar nosso objetivo de um mundo livre da pólio fazendo uma doação hoje mesmo.

«nenhum»

Você tem uma história sobre a pólio?
Compartilhe sua história
Vanessa Glavinskas | set. 23, 2019