Trabalhadores da erradicação da pólio apoiam combate à covid-19

O programa de erradicação da pólio está sendo empregado para proteger os mais vulneráveis contra a covid-19, especialmente em países endêmicos da poliomielite.

Fazendo uso da vasta infraestrutura desenvolvida para a identificação do vírus da poliomielite e execução de campanhas de vacinação, o programa de erradicação da pólio está sendo empregado para proteger os mais vulneráveis contra a covid-19, especialmente em países endêmicos da poliomielite. Do Paquistão à Nigéria, nossos vários anos de experiência no enfrentamento de surtos estão sendo úteis aos governos conforme lidam com a situação imposta pelo novo coronavírus.

Paquistão

Poucos programas de saúde têm tanta prática em acompanhamento de casos e mobilização comunitária quanto o programa de erradicação da pólio paquistanês. Isto significa que a equipe de combate à pólio está em excelente posição para apoiar o governo do Paquistão na luta contra o coronavírus.

O foco da equipe está sendo mais no fortalecimento da vigilância do novo coronavírus e conscientização pública. Trabalhando com o governo, dentro de três semanas a equipe treinou 280 agentes de vigilância e deu suporte ao desenvolvimento de um banco de dados totalmente integrado ao sistema existente para gerenciamento da pólio. Por causa da emergência nacional, os funcionários de vigilância da pólio estão também dando apoio à vigilância do coronavírus, treinando 6.260 agentes da saúde no assunto. Esforços como esses tendem a aumentar conforme o vírus continuar se alastrando.

Além do auxílio ao governo e aos agentes de resposta imediata da OMS, a equipe da pólio também está colaborando no rastreamento de exposição ao coronavírus e na melhoria dos testes em seis laboratórios. Eles foram treinados para apoiar e complementar os trabalhos atuais, preparar-se para um súbito aumento dos casos de covid-19 e atender ao número crescente de viajantes que precisam ser rastreados por conta do aumento dos casos. O laboratório regional para a pólio em Islamabad está fornecendo suporte técnico aos testes de covid-19 e se posicionando para atender à demanda.

Dada à sua experiência na área, os funcionários que combatem a paralisia infantil estão atuando como comunicadores nesta época de coronavírus, fornecendo informações precisas e ouvindo as pessoas. O governo do Paquistão ampliou a central nacional de atendimento originalmente usada para chamadas relacionadas à pólio para atender à necessidade do público de informações sobre a covid-19. A central foi rapidamente adaptada pelo pessoal de comunicação da pólio assim que o primeiro caso de covid-19 foi anunciado, empregando estratégias usadas rotineiramente para promover a vacinação contra a pólio para divulgar informações sobre a covid-19, inclusive trabalhando com o Facebook, para garantir o compartilhamento preciso de informações e veiculação de anúncios televisivos. Com o passar do tempo, mais pessoas serão treinadas para assegurar a disseminação de mensagens de práticas de saúde positivas que possam frear a transmissão do vírus.

Afeganistão

Os voluntários do programa de identificação de crianças com paralisia flácida aguda estão divulgando a importância da correta lavagem das mãos para reduzir a disseminação do coronavírus. O Unicef também está usando sua rede de comunicação de imunização para disseminar informações sobre higiene pessoal.

Os trabalhadores de campo em busca de crianças com paralisia flácida aguda aproveitam suas visitas de rotina aos estabelecimentos de saúde para identificar quem possivelmente possa ter covid-19. Além disso, eles estão capacitando outros trabalhadores da saúde para lidar com o novo coronavírus.

Para melhor coordenar as ações, a equipe da OMS de combate à pólio no Afeganistão dispõe de um ponto focal de conexão com as operações contra a covid-19 lideradas pelo governo afegão. As equipes de erradicação da pólio que atuam nas províncias e na região estão trabalhando com o Ministério de Saúde Pública, ONGs e outros parceiros para aumentar o grau de preparo do país para enfrentar o novo vírus.

Nigéria

“Quando há uma emergência, a OMS procura o governo dos estados para pedir a assistência dos times de combate à pólio”, diz Fiona Braka, líder de equipe de combate à pólio da OMS na Nigéria.
Nos estados de Ogun e Lagos, onde foram detectados dois casos de covid-19, mais de 50 funcionários da área médica do programa antipólio da OMS estão se dedicando a evitar o alastramento do coronavírus graças às lições aprendidas com a poliomielite. Eles estão ocupados com a vigilância integrada da doença, rastreamento, coleta e análise de dados. Especialistas de saúde pública ligados ao programa Stop Transmission of Polio, apoiado pelo Centro Norte-americano de Controle e Prevenção de Doenças, estão investigando casos de covid-19. 
Os escritórios para trabalho de campo da OMS – geralmente usados para coordenação de atividades de erradicação da pólio – estão sendo utilizados para acomodar equipes da OMS de contenção do coronavírus. O programa está emprestando telefones e veículos, e dando suporte administrativo para lidar com a covid-19.
Nos estados que não registraram casos de covid-19, os trabalhadores de combate à pólio estão dando suporte à preparação. A infraestrutura do programa contra a paralisia infantil está sendo usada para fortalecer ações de vigilância do novo coronavírus. Os trabalhadores da pólio estão atuando em estreito contato com órgãos do governo e dando treinamento para atuação em situação de surtos de covid-19, além de aumentar a conscientização comunitária sobre o assunto. O foco maior é no treinamento dos trabalhadores de linha de frente, que estão mais expostos ao vírus.

Além dos países endêmicos

Especialistas do programa Stop, que faz parte da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio, estão ajudando na preparação e atendimento de casos de covid-19 em 13 países. As equipes de resposta imediata do escritório regional da OMS na África, que normalmente atua em surtos de pólio, estão preparando Angola, Camarões e República Centro-africana. Funcionários especializados em poliomielite de outros escritórios estão dando suporte a colegas para atenuar o impacto causado pelo novo coronavírus.

No nosso trabalho para eliminar a pólio, conhecemos bem a devastação provocada por doenças transmissíveis. Por isso, estamos comprometidos em apoiar os sistemas nacionais de saúde disponibilizando nossos conhecimentos e recursos para conter a pandemia de covid-19, sem, contudo, deixarmos de lado a luta contra a paralisia infantil.

Para informações atualizadas sobre a covid-19, visite o site da OMS.

Publicado originalmente em polioeradication.org.

«nenhum»

Você tem uma história sobre a pólio?
Compartilhe sua história
Arnold R. Grahl | abr. 14, 2020